segunda-feira, março 14, 2011

GRITO e ARGUMENTO

As imagens e as emoções contraditórias deste mundo conturbado estorvam o exercício da inteligência e a busca da coerência interior. Os pretextos para a revolta e para o grito alimentam raivas que teimam em merecer o zelo do refreamento. Desse silêncio inquieto sobra apenas o insignificante grito que se perde na vacuidade das referências e na hesitação dos propósitos. Grite-se … mas ao grito associe-se o dizer que o significa e o argumento que lhe dá sentido. Sociabilize-se, assim, o grito e saiba-se construir uma harmonia de vozes que se possa fazer ouvir e, desse murmúrio em uníssono, encorajar movimentos consequentes de indignação e ação. Ao grito ajunte-se a exigência do merecido argumento que importa…

Sem comentários:

Enviar um comentário